73. ASTROCITOMA ANAPLÁSICO CEREBRAL

 

CÉREBRO. ASTROCITOMA ANAPLÁSICO

 

UFRJ115CerebroAstrocitomaAnaplasico

UFRJ 115. ADULTO. ENCÉFALO CORTADO OBLIQUAMENTE NO SENTIDO ANTEROPOSTERIOR. ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, SEGUNDO O EXAME HISTOPATOLÓGICO. NOTE NA SUBSTÂNCIA BRANCA DA REGIÃO TÊMPORO-OCCIPITAL ESQUERDA CEREBRAL MASSA IRREGULAR E ACINZENTADA, REPRESENTANDO A NEOPLASIA. A ÁREA ENEGRECIDA NO CEREBELO CARACTERIZA UM FOCO HEMORRÁGICO. OS ASTROCITOMAS SÃO NEOPLASIAS (GLIOMAS) INFILTRANTES, DERIVADAS DOS ASTRÓCITOS, COM VARIADOS GRAUS E PADRÕES HISTOLÓGICOS, INDO DE FORMAS COM ASTRÓCITOS BEM DIFERENCIADOS, COM CRESCIMENTO LENTO, ATÉ FORMAS AGRESSIVAS, COM PLEOMORFISMO CELULAR, ATIPIAS NUCLEARES E CRESCIMENTO RÁPIDO. ASSIM, SÃO DESCRITOS O ASTROCITOMA DIFUSO (GRAU II), O ASTROCITOMA ANAPLÁSICO (GRAU III) E O GLIOBLASTOMA (GRAU IV). OS “ASTROCITOMAS GRAU I”(MENOS DE 1% DOS ASTROCITOMAS) COMPREENDEM UM GRUPO HETEROGÊNEO DE TUMORES MAIS CIRCUNSCRITOS, COM CRESCIMENTO LENTO, QUE SUGEREM SER FORMAS MELHOR DIFERENCIADAS DOS ASTROCITOMAS DIFUSOS, GRAU II, AMBOS CONSIDERADOS DE BAIXO GRAU, ISTO É, “NÃO-MALIGNOS”, AO CONTRÁRIO DOS DE GRAUS III E IV, QUE TÊM CRESCIMENTO RÁPIDO, INFILTRANTE E DIFUSO, AMBOS CONSIDERADOS DE ALTO GRAU E, PORTANTO, MALIGNOS. OS ASTROCITOMAS OCORREM EM TODAS AS IDADES E EM QUALQUER PARTE DO NEUROEIXO. NOS ADULTOS PREDOMINAM NOS HEMISFÉRIOS CEREBRAIS E, NAS CRIANÇAS, NO TRONCO ENCEFÁLICO OU NO TÁLAMO. MENOS COMUMENTE SURGEM NA MEDULA ESPINHAL OU NO CEREBELO. NESTE ÚLTIMO SÍTIO GERALMENTE O ASTROCITOMA É DO TIPO PILOCÍTICO (GRAU I), O QUAL É PARTICULARMENTE COMUM EM CRIANÇAS E EM ADULTOS JOVENS, MANIFESTANDO-SE COMO MASSA CÍSTICA, RELATIVAMENTE CIRCUNSCRITA. EM PACIENTES ADULTOS MAIS VELHOS OS ASTROCITOMAS TENDEM A SER MAIS DIFUSAMENTE INFILTRANTES E SOFRER ANAPLASIA (ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, GRAU III) OU TER PADRÃO DE GLIOBLASTOMA (GRAU IV). ESTES TUMORES MALIGNOS CARACTERIZAM-SE COMO MASSAS EXPANSIVAS INTRACRANIANAS, QUE SE ASSOCIAM CLINICAMENTE COM CONVULSÕES E DÉFICIT NEUROLÓGICO VARIADO, SEGUNDO A LOCALIZAÇÃO, O TAMANHO E A RAPIDEZ DE CRESCIMENTO DA NEOPLASIA. AS CONVULSÕES SÃO MAIS COMUNS QUE O COMPROMETIMENTO NEUROLÓGICO FUNCIONAL, DEVIDO À DESTRUIÇÃO DO PARÊNQUIMA NERVOSO, ESPECIALMENTE NOS TUMORES DE ALTO GRAU. O DIAGNÓSTICO HISTOPATOLÓGICO CORRETO DESTAS NEOPLASIAS DEPENDE DA CORRELAÇÃO COM OS DADOS CLÍNICOS E OS DE IMAGEM (NEURORRADIOLÓGICOS, TOMOGRÁFICOS, ETC). COMPARE COM AS IMAGENS 116 A 120.

 

UFRJ116CerebroAstrocitomaAnaplasico

UFRJ 116. ADULTO. ENCÉFALO. DETALHE DA IMAGEM 115. ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, SEGUNDO O EXAME HISTOPATOLÓGICO. OBSERVE NA SUBSTÂNCIA BRANCA DA REGIÃO TÊMPORO-OCCIPITAL ESQUERDA CEREBRAL MASSA IRREGULAR, ACINZENTADA, COM MICROCISTOS, REPRESENTANDO A NEOPLASIA. À DIREITA NOTE O HIPOCAMPO E PARTE DO VENTRÍCULO LATERAL COM PLEXO CORÓIDE. O ASTROCITOMA ANAPLÁSICO É UM GLIOMA INFILTRANTE, GRAU III, INTERMEDIÁRIO ENTRE O ASTROCITOMA DIFUSO, GRAU II, E O GLIOBLASTOMA, GRAU IV. CONSIDERANDO-SE AS IDADES DOS PACIENTES, O ASTROCITOMA ANAPLÁSICO COSTUMA OCORRER UMA DÉCADA MAIS TARDE QUE A DO ASTROCITOMA DIFUSO, GRAU II (FREQUENTE EM ADULTOS JOVENS OU DE MEIA IDADE), E UMA DÉCADA MAIS CEDO QUE A DO GLIOBLASTOMA, GRAU IV. MACROSCOPICAMENTE OS ASTROCITOMAS PODEM TER ASPECTO FIRME, AMOLECIDO OU GELATINOSO, COM OU SEM CISTOS. OCORREM NA INTIMIDADE DA SUBSTÂNCIA BRANCA, COMO A MOSTRADA NESTA IMAGEM, PODENDO INFILTRAR A SUBSTÂNCIA CINZENTA, DEIXANDO POUCO NÍTIDOS OS LIMITES ENTRE AMBAS. A GRADUAÇÃO HISTOLÓGICA DOS ASTROCITOMAS BASEIA-SE NA PRESENÇA DE ATIPIA NUCLEAR (POLIMORFISMO, HIPERCROMASIA), DE CÉLULAS EM MITOSE, DA PROLIFERAÇÃO MICROVASCULAR (ENDOTELIAL) E DA OCORRÊNCIA  DE NECROSE. TAIS PARÂMETROS SÃO OBSERVADOS SEQUENCIALMENTE NO TEMPO, DE ACORDO COM O AUMENTO DA GRADUAÇÃO DESTAS NEOPLASIAS. ASSIM, O ASTROCITOMA GRAU II TEM APENAS ATIPIA NUCLEAR, O GRAU III TEM ACRESCIDO CÉLULAS EM MITOSE, E OS TUMORES DE GRAU IV TÊM TAMBÉM PROLIFERAÇÃO MICROVASCULAR (ENDOTELIAL), NECROSE OU AMBOS. OS RAROS ASTROCITOMAS GRAU I (MENOS DE 1%) NÃO APRESENTAM NENHUM DOS ACHADOS HISTOLÓGICOS AQUI DESCRITOS. COMPARE COM AS IMAGENS 117 A 120.

 

UFRJ117CerebroAstrocitomaAnaplasico

UFRJ 117. ADULTO. ENCÉFALO. SUPERFÍCIE INFERIOR DA IMAGEM 115. ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, SEGUNDO O EXAME HISTOPATOLÓGICO. OBSERVE QUE NESTE CORTE A NEOPLASIA OCUPA A SUBSTÂNCIA BRANCA TÊMPORO-OCCIPITAL ESQUERDA CEREBRAL E INFILTRA A SUBSTÂNCIA CINZENTA CORTICAL. MICROSCOPICAMENTE O ASTROCITOMA ANAPLÁSICO APRESENTA MAIOR CELULARIDADE QUE O ASTROCITOMA DIFUSO GRAU II, ACRESCIDO DE PLEOMORFISMO E HIPERCROMASIA NUCLEARES E VÁRIAS CÉLULAS EM MITOSE. PORÉM, NÃO APRESENTA, AINDA, A MARCANTE CELULARIDADE, A PROLIFERAÇÃO VASCULAR E A NECROSE CARACTERÍSTICOS DO GLIOBLASTOMA, GRAU IV. PODE EVIDENCIAR VASCULARIZAÇÃO PROEMINENTE COM TRAMA DE CAPILARES BEM FORMADOS COM ÚNICA CAMADA ENDOTELIAL. DEVIDO À TRANSFORMAÇÃO PROGRESSIVA ENVOLVENDO OS ASTROCITOMAS DIFUSOS, NUM MESMO TUMOR PODEM-SE OBSERVAR ÁREAS DE ASTROCITOMA ANAPLÁSICO EM CONTINUIDADE COM ÁREAS DE ASTROCITOMA GRAU II OU DE GLIOBLASTOMA (GRAU IV). SOMENTE A PRESENÇA DE PROLIFERAÇÃO MICROVASCULAR (ENDOTELIAL EM VÁRIAS CAMADAS) E NECROSE PERMITE O DIAGNÓSTICO DE GLIOBLASTOMA. COMPARE COM A IMAGEM 118.

 

UFRJ118CerebroAstrocitomaAnaplasico

UFRJ 118. ADULTO. ENCÉFALO. DETALHE DA IMAGEM 117. ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, SEGUNDO O EXAME HISTOPATOLÓGICO, EM REGIÃO TÊMPORO-OCCIPITAL ESQUERDA CEREBRAL. NOTE QUE A NEOPLASIA OCUPA PREDOMINANTEMENTE A SUBSTÂNCIA BRANCA E QUE TAMBÉM INFILTRA A SUBSTÂNCIA CINZENTA CORTICAL. OS ASTROCITOMAS LOCALIZADOS PROFUNDAMENTE NA SUBSTÂNCIA BRANCA CEREBRAL INICIALMENTE PODEM SER PEQUENOS E IMPERCEPTÍVEIS À MACROSCOPIA. O ASPECTO MACROSCÓPICO DESTE TUMOR VARIA PODENDO SER FIRME, MOLE, GELATINOSO E COM CISTOS. DIFERENCIA-SE DO GLIOBLASTOMA, POIS ESTE COSTUMA APRESENTAR CENTRO NECRÓTICO, HEMORRÁGICO, COM CONTEÚDO SEMILÍQUIDO. O GLIOBLASTOMA (ASTROCITOMA GRAU IV), PODE ESTAR OU NÃO ASSOCIADO COM ASTROCITOMA DIFUSO, GRAU II OU COM O ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, GRAU III. COMPARE COM AS IMAGENS 115 A 120.

 

UFRJ119CerebroAstrocitomaAnaplasico

UFRJ 119. ADULTO. CÉREBRO COM CORTE DE REGIÃO OCCIPITAL MOSTRANDO, NO LADO ESQUERDO, ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, SEGUNDO O EXAME HISTOPATOLÓGICO. NOTE A NEOPLASIA COMO MASSA IRREGULAR E ACINZENTADA OCUPANDO A SUBSTÂNCIA BRANCA. O ASTROCITOMA ANAPLÁSICO OCORRE PRINCIPALMENTE NO HEMISFÉRIO CEREBRAL, MAIS FREQUENTEMENTE EM PACIENTES ADULTOS A PARTIR DA QUINTA DÉCADA DE VIDA E, OCASIONALMENTE, TAMBÉM EM CRIANÇAS. A IMUNOSSUPRESSÃO, CONGÊNITA OU ADQUIRIDA, E A EXPOSIÇÃO A RADIAÇÕES IONIZANTES SÃO FATORES DE RISCO IMPORTANTES NO DESENVOLVIMENTO DOS TUMORES NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL. OS SINAIS E SINTOMAS DOS PACIENTES COM NEOPLASIA NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL DEPENDEM DA LOCALIZAÇÃO E DA VELOCIDADE DE CRESCIMENTO DO TUMOR, DO GRAU DE HIPERTENSÃO INTRACRANIANA E DA COMPRESSÃO E ISQUEMIA DOS TECIDOS CIRCUNDANTES. CEFALÉIA, DEVIDO AO AUMENTO DA PRESSÃO INTRACRANIANA, SURGE EM 40% DOS PACIENTES. A CEFALÉIA PODE SER INESPECÍFICA OU SURGIR LOGO APÓS O ACORDAR E DESAPARECER APÓS CERCA DE 1 HORA. VÔMITO PRECEDIDO OU NÃO POR NÁUSEA, ESPECIALMENTE AO ACORDAR, É MAIS COMUM EM CRIANÇAS DO QUE NOS ADULTOS. CEFALÉIA AGUDA IMEDIATAMENTE SEGUIDA POR VÔMITO É CARACTERÍSTICA DE TUMOR CEREBRAL, ENQUANTO A CEFALÉIA COM VÔMITO TARDIO (VÁRIAS HORAS MAIS TARDE DO QUE O INÍCIO DA CEFALÉIA) É MAIS COMUM NA ENXAQUECA. PERDA TRANSITÓRIA DA VISÃO POR PAPILEDEMA, DEVIDO À PRESSÃO INTRACRANIANA AUMENTADA, PODE TAMBÉM OCORRER, SENDO MAIS COMUM EM CRIANÇAS, DO QUE NOS IDOSOS. AS ALTERAÇÕES DE COMPORTAMENTO DECORRENTES DE TUMORES INTRACRANIANOS EM GERAL SÃO: IRRITABILIDADE, QUE PROGRIDE PARA APATIA, REALIZAÇÃO LENTA DAS ATIVIDADES USUAIS E DURAÇÃO PROLONGADA DO SONO, ASSOCIADA COM ACORDAR PREOCUPADO E LENTIDÃO EM INICIAR A CONVERSAÇÃO. COMPARE COM AS IMAGENS 115 A 118 E COM A 120.

 

UFRJ120CerebroAstrocitomaAnaplasico

UFRJ 120. CÉREBRO. CORTE DE REGIÃO TÊMPORO-OCCIPITAL ESQUERDA COM ASTROCITOMA ANAPLÁSICO, SEGUNDO O EXAME HISTOPATOLÓGICO. ALÉM DO DESCRITO NA IMAGEM 119, AS NEOPLASIAS INTRACRANIANAS PODEM MANIFESTAR-SE TAMBÉM COM SINAIS E SINTOMAS TRANSITÓRIOS DE CEFALÉIA, PERDA VISUAL, ALTERAÇÃO DA CONSCIÊNCIA E, ALGUMAS VEZES, FRAQUEZA NAS EXTREMIDADES, DESENCADEADOS NO ATO DE LEVANTAR-SE OU APÓS TOSSE OU ESPIRRO, DEVIDO AO AUMENTO TRANSITÓRIO (5 A 20 MINUTOS) NA PRESSÃO INTRACRANIANA, EM SI JÁ ELEVADA. AS CONVULSÕES SÃO OS SINAIS FOCAIS MAIS COMUNS NOS TUMORES INTRACRANIANOS, ESPECIALMENTE OS QUE AFETAM O CÓRTEX MOTOR E O LOBO TEMPORAL. OS SINAIS E SINTOMAS FOCAIS, COMO AFASIA, HEMIPARESIA E DEFEITO NO CAMPO VISUAL, ENTRE OUTROS, DEPENDEM DA LOCALIZAÇÃO DO TUMOR E SÃO SEMELHANTES AOS RELACIONADOS COM INFECÇÃO (MENINGOENCEFALITE), ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO E OUTRAS DOENÇAS ENCEFÁLICAS. COMPARE COM A IMAGEM 119.